Muita fé

Na quarta-feira (17) a Assembleia Legislativa aprovou os projetos de lei enviados pelo governador Carlos Moises (PSL), alterando a forma como são concedidos os incentivos fiscais em Santa Catarina. Significa um grande retrocesso da forma como está, podendo levar a perda de mais de cinquenta mil postos de trabalho, de acordo com previsões do Comitê de Defesa da Competitividade da Economia de SC. Os setores de transportes e o portuário irão sofrer perdas significativas e empresas podem fechar as portas ou poderão optar por outro estado para darem continuidade às atividades. Para que a medida seja minimizada, o governo precisará encaminhar um remendo ao que fora aprovado, ou seja, tudo feito nas coxas, dependendo apenas da palavra do secretário da Fazenda, Paulo Eli, em quem não confio.

Pouca fé

Falo como eleitor de Carlos Moisés que se arrependimento matasse, você leitor estaria acompanhando meu obituário neste momento, pois volto a reforçar que embasado na teoria da curva de Laffer, onde o aumento de uma alíquota de imposto não resulta necessariamente em aumento da arrecadação, mas sim na perda de recursos, esta sanha arrecadadora pode ser um verdadeiro tiro no pé. O pior é o silencio dos deputados Ana Paula da Silva, a Paulinha do PDT, Onir Mocelin e Ana Caroline Campagnolo, ambos do PSL. Em 2020 os três terão muito a falar, ano eleitoral é sempre assim, mas talvez tenha sido tarde demais, pois a população deve apenas dar o troco, virar-lhes as costas, como fizeram com o cidadão catarinense até aqui.

Posicionamento

O vereador licenciado e atual secretário de Desenvolvimento Econômico de Itajaí, Thiago Morastoni (MDB), ao termino da sessão escreveu em redes sociais que o último encontro antes do recesso parlamentar na Assembleia Legislativa, exatamente no qual foram aprovados os famigerados projetos de lei, teve gosto de derrota para os itajaienses. Thiago reforçou o que venho destacando que tal medida poderá levar ao caos econômico, gerando fechamento dos postos de trabalho e perda de empresas. Volto a afirmar que pelo conhecimento de economia e feitos na área, Carlos Moises merece por prêmio, um fardo de alfafa.

Traição das grossas

A oposição conseguiu lograr êxito na eleição para escolha do novo presidente da Câmara Municipal de Navegantes. Tudo por conta da ingenuidade do vereador José dos Santos (PSD), o Zé do bairro São Paulo. Ele acreditou que receberia votos de seus correligionários, os colegas de partido, mas na última hora levou uma facada nas costas. Zé chegou a levar a família até a casa do povo para que os parentes pudessem acompanhar o momento de glória, mas todos saíram de lá com o gosto amargo, não da derrota, mas da traição. Que a política é suja o vereador já sabia, mas agora sentiu na pele o grau de canalhice a que certos políticos podem chegar.

Bola de cristal

Enquanto escrevo a coluna, na tarde de quinta-feira (18), fico aqui perguntando como será a sessão da Câmara Municipal de Navegantes que irá analisar nesta noite, o relatório da Comissão Especial de Inquérito que pediu, entre outras medidas, o afastamento do prefeito Emílio Vieira (PSDB). Não é possível prever o resultado, mas tenho a convicção pessoal de que, se chegou a ter a votação, a oposição não conquistou os votos necessários para afastar o alcaide. Trata-se apenas de um exercício de futurologia, mas conversei com várias pessoas na Câmara e há um consenso de que os sete votos necessários para a cassação não serão conquistados pelos opositores. Hoje você leitor já sabe o resultado, semana que vem volto ao tema, já que falar do passado é bem mais fácil do que do futuro.

Minha opinião

Não tenho procuração para defender Emílio e independente do resultado da votação de ontem, penso que o relatório da Comissão Especial de Inquérito é injusto, pois o prefeito atual não teve nenhum envolvimento no relatório final, todo o episódio do plano diretor, esta grande fraude, foi pensado e arquitetado pelo ex-prefeito Roberto Carlos de Souza, o Rei na planilha de propinas da Odebrecht. Se Vieira pecou pela omissão, sim, acredito nisto, mas daí a ser cassado por isto, sequer é verdade, porque caso haja cassação terá sido um ato totalmente político, sem nenhum viés administrativo.

Não existe

Em redes sociais há quem defenda o afastamento, por considerar Emílio Vieira um mau prefeito e não irei entrar no mérito por tratar-se de foro íntimo, percepção pessoal de cada um, mas abordo o tema para lembrar que não há no Brasil uma lei para afastar prefeitos, simplesmente pela discordância dos métodos de administração. Querem um recall, não previsto na Constituição Federal. Eu mesmo gostaria de ver grandes mudanças no paço municipal dengo-dengo, mas daí a querer afastar o chefe do Executivo, eleito democraticamente pelo voto popular, tenho certeza ser um exagero, uma grande injustiça acima de qualquer coisa e, em última analise, inconstitucional.

Ele diminuiu

Assisti aos vídeos da filiação de Roberto Carlos ao PSD e eu estive na filiação dele quando adentrara ao ninho tucano, portanto, posso fazer uma avaliação, Bob está, politicamente falando, desidratando, definhando, cada vez fica menor e a prova foi o evento, alardeado como um grande acontecimento, mas que não lota uma Kombi com votos. Uma festa regada a comida e bebida, com gente de fora, cuja grande presença foi Raimundo Colombo, o Ovo na planilha de propinas da Odebrecht, denunciado por diversas irregularidades. Quando se filiou ao PSDB, o próprio governador estava presente, agora um ex-inquilino da Casa D’Agronômica, mais sujo do que pau de galinheiro. Talvez seja esta a prova de que a população está farta da velha política, a qual Bob representa como poucos.

Transferido

O grupo de empresários que deve ter um candidato a prefeito de Navegantes em 2020 adiou a cerimônia de filiação ao DEM que agora irá acontecer nesta noite de sexta-feira (19). Uma ave de rapina me garantiu que um dos que irá assinar ficha é o último gentleman do mundo corporativo, Osmari de Castilho Ribas, talvez o cidadão mais humilde e educado que tive o prazer de conhecer em toda a minha vida. Pelo visto eles não estão de brincadeira, pois irão reunir a nata do empresariado dengo-dengo, podendo ser a grande novidade da eleição do próximo ano.

Manda brasa

Quem também se prepara para o pleito de 2020 é o MDB que está sob novo comando, capitaneado pelo ex-vereador e atual secretário de Planejamento de Penha, Fredolino Alfredo Bento, que será acompanhado pela empresária Camila Luchtenberg. Lino é esperto, sabe fazer política e dá um passo importante ao conquistar o comando da sigla.

<>SOBE<>

O Procon de Itajaí realizou pesquisa em 45 postos de combustíveis e apontou que o litro da gasolina baixou, sendo vendido, na menor cotação, a R$ 3,68

<>DESCE<>

A empresa Águas de Penha, concessionária do serviço de abastecimento, não realizou sequer 30% dos investimentos que havia se comprometido em contrato

DEIXE UMA RESPOSTA